O plano perfeito para sair das dívidas e tirar as contas do vermelho

As contas no vermelho tiram o sono de qualquer pessoa, afinal sair das dívidas pode ser bastante complicado se você não tiver um plano estruturado em mãos. 

E mais do que nunca, o momento que estamos vivendo atualmente mostra que cuidar bem do dinheiro é essencial para ter uma vida tranquila e equilibrada. 

É por isso que decidi fazer esse artigo, para te mostrar como montar um plano perfeito, são 10 passos para te ajudar a sair das dívidas, fazer o dinheiro sobrar no final do mês e assumir o controle de suas finanças.

 

10 passos para sair das dívidas

sair das dívidas

Antes de conhecer os 10 passos para sair das dívidas, é importante você saber que para começar vai precisar:

  • Tomar a decisão de cuidar bem do seu dinheiro,
  • Ter clareza do seu momento financeiro,
  • Anotar os pontos principais,
  • E aplicar na vida prática.

Portanto, se você estiver disposto, esses 10 passos podem mudar completamente a sua vida financeira de uma vez por todas e te ajudar a realmente sair das dívidas.

 

Passo 1: Parar de fazer mais dívidas

Muitos dos meus alunos têm mais de uma dívida. E a grande maioria delas foram feitas sem muita reflexão. Esse ciclo vicioso acaba formando uma grande bola de neve, na tentativa eterna de “tapar buracos”.

Por isso, o primeiro passo para sair das dívidas é evitar fazer novas dívidas. Então, esqueça as saídas alternativas e pare de tentar resolver problemas com mais problemas. Mantenha suas contas em dia e evite novos débitos.

 

Passo 2: Organizar as finanças 

Organização é fundamental em todas as áreas da vida, inclusive nas finanças. Sobretudo, para organizar suas contas e sair das dívidas, você vai precisar montar seu orçamento mensal.

Com esse documento em mãos, você terá uma visão geral da sua situação financeira. A partir disso, procure gastar menos do que você ganha, estabelecendo o equilíbrio entre as contas. Combinado?

 

Passo 3: Lidar com as dívidas existentes

Depois de organizar suas finanças e parar finalmente de fazer novas dívidas, você precisa começar a lidar com as dívidas que já tem. 

Para isso, faça uma planilha ou tabela especial com todos os detalhes. Os dados que devem ser colocados nessa planilha são: 

  • (1) descrição da dívida,
  • (2) valor mensal do pagamento, 
  • (3) valor da dívida inicial, 
  • (4) valor total da dívida atualizada, 
  • (5) taxa mensal de juros, 
  • (6) quantidade de meses ainda a vencer,
  • (7) dia do mês para pagar, 
  • (8) data do vencimento do último pagamento.  

Isso vai te permitir estabelecer as prioridades, definir as dívidas que deverão ser pagas primeiramente. É importante verificar as dívidas que estão com as maiores taxas de juros (considere sempre as taxas efetivas das dívidas).

 

Passo 4: Priorizar a dívida mais crítica

Sair das dívidas não é algo que ocorre do dia pra noite. É um processo que demanda muito planejamento e trabalho duro. Então, quando tiver sua planilha de dívidas pronta, comece a analisar as dívidas que deverão ser pagas primeiro. 

Por exemplo: conta de luz, prestação da moto ou carro, documentação do carro (veículo pode ser apreendido). Depois das mais críticas, as dívidas a serem resolvidas serão as com maiores juros. 

Depois de resolver as de maiores juros, resolva as de maior valor. Esse é o caminho certo, não pegue atalhos!

 

Passo 5: Negociar as dívidas para liquidação total

sair das dívidas

Renegociar as dívidas pode ser uma tarefa difícil. Os bancos e as instituições financeiras estão bem preparadas para negociar.

Por isso, você vai precisar usar uma estratégia para fazer o melhor acordo possível. Uma das estratégias mais recomendadas é evitar parcelar/refinanciar a dívida com o próprio banco ou instituição financeira.

Eles se aproveitam dessa situação para oferecer mais produtos (mais crédito), que acabam te levando a ter uma “dívida eterna”.  

 

Passo 6: Trocar uma dívida cara por uma dívida mais barata

Para entender o 6 passo para sair das dívidas, você precisa saber o que é uma dívida cara. Ela pode ser considerada a dívida que tem juros mais altos. Juros = é o custo do dinheiro (é como se fosse um “aluguel” que você paga para usar o dinheiro).

Se você trocar sua dívida por uma de juros menores, sua dívida irá crescer menos (menos dinheiro sairá do seu bolso).  As parcelas poderão caber melhor no seu orçamento mensal. 

Uma estratégia poderosa para obter juros menores poderá ser procurar as fintechs e as empresas de crédito. Vale a pena tentar!

 

Passo 7: Crie o hábito de controlar gastos

Mudança de hábito é um grande desafio para a maioria das pessoas. Mas se você deseja obter resultados e realmente sair das dívidas precisa colocar atenção e esforço na mudança de hábitos financeiros saudáveis. 

A troca de hábitos visa ter vida financeira mais saudável, alcançar objetivos, conquistar sonhos como pagar dívidas, ter reserva, adquirir bens. Mas para conquistar saúde financeira será necessário ter os gastos sob controle e principalmente poupar. 

As crenças financeiras limitantes podem impedir você de criar novos hábitos financeiros. Elas estão relacionadas ao modelo financeiro que está dentro da nossa cabeça e que foi formado na infância. 

As crenças são consideradas por nós como fortemente verdadeiras e podem atrapalhar nossa caminhada para o sucesso financeiro. 

 

Passo 8: Crie seu colchão para emergências 

Outro passo essencial para quem deseja sair das dívidas é montar sua reserva financeira. Passe a reservar parte dos seus ganhos (10%) por mês para guardar para eventualidades que podem ocorrer (quebra do carro, perda do emprego, etc.).

O tamanho ideal desse colchão deve corresponder a um ano do seu custo de vida. E pode ser criado aos poucos. Mas ele deve ser sempre preservado. Se gasto, deve ser reposto assim que possível. Esse colchão deve ser usado apenas para emergências.

 

Passo 9: Modere o uso do cartão de crédito

Você sabia que a cada 10 endividados no Brasil, 4 foram através do uso do cartão de crédito? Hoje o uso do “dinheiro de plástico” é muito comum.

Entretanto, é importante esclarecer que o cartão de crédito não faz parte da sua renda. Cartão de crédito é DÍVIDA! E você que sair das dívidas, certo?

Então, para controlar ele do jeito certo, a orientação é: O limite do cartão de crédito deve ser correspondente a no máximo, 50% da sua renda mensal.

 

Passo 10: Invista dinheiro economizando todo mês

Mesmo que você tenha um orçamento muito apertado, faça um esforço extra para investir todos os meses. São vários os objetivos a atingir, como:

  • Desenvolver o hábito de poupar,
  • Criar reserva pessoal, 
  • Criar reserva para pagar os credores,
  • E mais ainda, gerar riqueza e conquistar seus sonhos e sonhos da sua família. 

Todos esses são objetivos importantes para quem quer sair das dívidas. Percebeu como não é tão difícil assim fazer isso? É claro, você precisa ter paciência e se manter firme no seu planejamento.

Mas caso você ainda tenha ficado com dúvidas, entre em contato comigo. 

Será um prazer te ajudar!

E para ver outras dicas e conteúdos exclusivos sobre finanças, me siga nas redes sociais: Instagram, Facebook e Youtube.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *