Descubra como sair do cheque especial em 4 passos

Contrair débitos é fácil, mas saber como sair do cheque especial não. Embora o cartão de crédito seja um recurso disponível para muitos e permita uma grande facilidade ao crédito, essa modalidade apresenta um dos juros mais altos no país.

E você? Quer se livrar do cheque especial? Sou Evanilda Rocha, consultora financeira e quero te ensinar como fazer isso.

Bem, se você faz parte do grupo de pessoas que usa o cheque especial de vez em quando ou com bastante frequência, você já deve saber que está perdendo bastante dinheiro. Mas não precisa entrar em pânico porque vou passar pra você quatro dicas para você resolver esse problema.

1. Se planeje e tenha um orçamento

Não há como sair do cheque especial sem planejamento. Você vai precisar fazer o seu orçamento. Ele é um planejamento de curtíssimo prazo, de 30 dias. É preciso que você saiba o seu saldo do início do mês, o que você vai gastar de dinheiro durante o mês e se vai sobrar ou faltar (e quanto).

Depois disso será possível tomar providências, como economizar, reduzir gastos e fazer novas escolhas pra fazer sobrar dinheiro. O orçamento vai mostrar sua realidade financeira. Sem anotar tudo isso, as informações são aproximadas, e não reais. Quando todos os dados são colocados no papel ou na planilha, é possível visualizar o cenário e tomar decisões de ajuste.

2. Torne a dívida do cheque especial mais barata

O melhor mesmo é não usar o cheque especial. Mas se já estiver endividado, é melhor buscar formas de trocar uma dívida cara (a sua, no caso) por uma mais em conta, por uma dívida menos cara. Pode ser obtendo um empréstimo bancário (e aqui vale negociar ou empréstimo consignado, cujas taxas são melhores). Aproveite para negociar nesse caso também.

3. Se informe sobre o cartão de crédito

O próprio cartão de crédito fornece a possibilidade de financiamento do valor que você deve. Nesse caso você vai precisar ligar para a operadora do seu cartão de crédito e pedir as informações necessárias.

Pergunte qual o Custo Efetivo Total da dívida que você tem. O Custo Efetivo Total vai indicar o valor que você vai pagar com juros, taxas e impostos. E saber o custo efetivo total é válido também para a segunda dica que falamos há pouco, para empréstimo bancário ou consignado.

Para decidir qual é a melhor para o seu caso, compare todas as taxas disponíveis (empréstimo bancário, empréstimo consignado ou financiamento da própria operadora do cartão de crédito).

4. Fique atento às suas finanças

Que tal não errar duas vezes? Eu sei, errar é humano mas é melhor ficar de olho no seu dinheiro. Já que entrou no cheque especial uma vez, trate de não entrar pela segunda ou terceira vez.

Você vai conseguir ter um melhor controle se continuar seguindo o planejamento. Essa é uma dica que você pode levar para toda a sua vida financeira.

Para ajudar meus clientes a organizar as contas, poupar, economizar, quitar dívidas e investir, eu desenvolvi o programa Como mudar sua vida financeira para enriquecer. Trata-se de um programa 100% online que você pode fazer de onde você estiver, na hora que você quiser e no seu ritmo.

Para você saber mais sobre esse programa que vai fazer você economizar dinheiro, tempo e energia, clique no link abaixo. Você será direcionado para uma página onde você terá todos os detalhes do treinamento.

 

programa-financas-saber-mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *